guia do novo coronavirus
Imprimir PDF Republicar

Tecnociência

Aparelho ortopédico facilita recuperação

Crianças e adolescentes entre 6 e 13 anos com problemas ortopédicos na região do quadril terão maior facilidade de recuperação com um aparelho chamado artrodistrator, desenvolvido na Faculdade de Medicina da USP de Ribeirão Preto (FMRP). “Esse aparelho é indicado para várias patologias (traumas, infecções, doenças metabólicas e congênitas) em que a criança tem dificuldade de caminhar ou possui afecções dolorosas no quadril”, explica o professor José Volpon, do Departamento de Cirurgia, Ortopedia e Traumatologia e pesquisador do laboratório de Bioengenharia da FMRP.

O artrodistrator vai substituir tratamentos convencionais que incluem grandes cirurgias, principalmente na cabeça do fêmur, o maior osso da perna. Uma dessas afecções mais freqüentes e com alto poder lesivo é a doença de Legg-Calvé-Perthes. Com a utilização do aparelho em crianças doentes, os pesquisadores conseguiram diminuir os problemas causados por essa doença. Para a instalação do aparelho é preciso uma pequena cirurgia para fixação dos pinos nos ossos através da pele.

O artrodistrator afasta o osso da cabeça do fêmur da região do quadril onde está articulado. Essa estratégia deixa a área lesada protegida e propicia a aceleração do processo de revascularização do local doente, acelerando também a regeneração dos ossos. Os pacientes usam o artrodistrator por períodos de 3 a 4 meses. Com isso, eles podem caminhar sem a necessidade de ficar confinados a uma cama. O artrodistrator de quadril da FMRP está em fase de patenteamento.

Republicar