guia do novo coronavirus
Imprimir PDF Republicar

Estratégias

Atentado nos Alpes

Ativistas dos direitos dos animais foram os responsáveis por um incêndio criminoso que destruiu a casa de campo nos Alpes suíços do médico Daniel Vasella, executivo chefe do laboratório Novartis. O chalé virou cinzas, mas ninguém saiu ferido. Segundo a Novartis, houve pelo menos dez ataques recentes a seus funcionários, o que inclui a profanação de um túmulo da família de Vasella – as cinzas de sua mãe foram roubadas – e a descoberta de uma bomba incendiária instalada no carro do executivo Ulrich Lehner. O grupo Stop Huntingdon Animal Cruelty (Shac) é suspeito de praticar as ações. Seus ativistas haviam anunciado ataques contra empresas que contratam os serviços da companhia Huntingdon Life Sciences, próximo a Cambridge, no Reino Unido, especializada em fazer testes com animais. A Novartis não é mais cliente da Huntingdon há muito tempo. Vasella argumenta, contudo, que é impossível evitar o uso de animais em testes de medicamentos. “A lei exige que a segurança de remédios seja determinada através de testes com animais. Ninguém gosta de fazer isso, mas os testes são indispensáveis para manter os padrões de qualidade”, disse Vasella, de acordo com o jornal suíço Blick am Sonntag.

Republicar