guia do novo coronavirus
Imprimir PDF Republicar

Tecnociência

Bateria feita de vírus

De forma pioneira, pesquisadores do Instituto de Tecnologia de Massachusetts (MIT), nos Estados Unidos, conseguiram criar uma bateria de lítio, dessas usadas em notebooks e outros equipamentos eletrônicos, que usa um vírus geneticamente modificado para fazer o material dos terminais positivo e negativo desses dispositivos. Os vírus chamados de M13 são inofensivos ao homem e passam por modificações nas proteínas que os recobrem. Isso faz eles se autorrecobrirem de fosfato de ferro e se fixarem em nanofios de óxido de cobalto que se constituem no material dos terminais da bateria. A descoberta pode levar a uma nova geração de baterias bem menores, mais eficientes e fáceis de recarregar do que as atuais. Um importante avanço da pesquisa, publicada na revista Science (10 de maio), é que o processo de fabricação das novas baterias seria barato e ambientalmente correto. Sua síntese é feita em baixa temperatura (o que requer pouca energia), não emprega solventes orgânicos agressivos e o material usado no dispositivo não é tóxico. Os pesquisadores se conscientizaram que os biossistemas têm grande capacidade de construção e organização de materiais nanoestruturados.

Republicar