guia do novo coronavirus
Imprimir PDF Republicar

Indicadores

Benefícios medidos

Parceria ibero-americana vai avaliar impacto social de novas tecnologias

A Rede Ibero-Americana de Indicadores de Ciência e Tecnologia (Rycit), a FAPESP e o Laboratório de Jornalismo (Labjor) da Universidade Estadual de Campinas (Unicamp) criaram uma rede de pesquisa para medir e avaliar os benefícios sociais dos investimentos em pesquisa, desenvolvimento e inovação nos países em desenvolvimento.O projeto inicia-se com a definição de metodologia de pesquisa, a construção de um conjunto de indicadores e a delimitação de uma área-piloto para análise.

Para integrar a rede foi criado um fórum virtual de debates que contará com o suporte tecnológico do Centro Latino-Americano e do Caribe de Informações em Ciências da Saúde (Bireme). A parceria entre a Rycit, FAPESP e Labjor foi formalizada no seminário internacional “Estratégias metodológicas y experiencias recientes de medición del impacto social de la ciencia e la tecnologia – Taller San Pablo”, realizado na FAPESP nos dias 3 e 4 de agosto. Participaram do encontro especialistas e pesquisadores da Argentina, Colômbia, Espanha, Cuba, Panamá e Brasil.

A metodologia de pesquisa terá como base projetos de avaliação do impacto social da ciência e tecnologia já realizados na Colômbia, Panamá e Cuba e o modelo de análise elaborado pela Divisão de Inovação Empresarial do Centro de Automatización, Robótica y Tecnologías de la Información y de la Fabricación (Cartif), de Valladolid, na Espanha. O Observatório de Ciência e Tecnologia da Colômbia, por exemplo, analisou os resultados dos investimentos do Programa Nacional de Biotecnologia. Constatou que o programa, além de estimular um número significativo de artigos, teses, registros de patentes e consolidar uma comunidade nacional de pesquisa, permitiu o desenvolvimento de métodos diagnósticos e de novas plantas, apenas para citar alguns exemplos, como disse José Villaveces Cardozo, diretor executivo do Observatório.

O Panamá também desenvolve metodologia para avaliar a apropriação do conhecimento científico e tecnológico gerado nas diversas áreas do conhecimento. No setor agropecuário, por exemplo, identificou-se um “divórcio entre a política e o desenvolvimento agropecuário”, de acordo com Lourdes Palmas, do Departamento de Indicadores de C&T da Secretaria Nacional de Ciência, Tecnologia e Inovação. “As pesquisas beneficiaram apenas os grandes e médios produtores, com maior capacidade de aproveitar os conhecimentos tecnológicos”, disse.

Cuba realizou um esforço ainda mais abrangente de avaliação dos resultados sociais dos investimentos em ciência e tecnologia, avaliando as áreas de educação, saúde, trabalho, alimentação, cultura, esporte e recreação. “Também foi considerado o impacto da inovação na balança comercial do país”, diz Armando Rodriguez, representante do Ministério de Ciência, Tecnologia e Meio Ambiente de Cuba.

Rodriguez cita o caso da vacina contra a bactéria Haemophilus influenzae, desenvolvida no país, que, além de imunizar 99,7% das lactantes cubanas, resultou numa economia de US$ 1,7 milhão com importação do medicamento.

Republicar