guia do novo coronavirus
Imprimir PDF Republicar

Tecnociência

Brasileiros no ar

REPRODUÇÃO DESAFIO DE VOAR / METALIVROSMais perto do céu: um dos primeiros aparelhos que permitiram à espécie humana levantar vôoREPRODUÇÃO DESAFIO DE VOAR / METALIVROS

Desafio de voar – brasileiros e a conquista do ar (Metalivros, 214 páginas, R$ 74,00) foi um dos livros lançados este ano na esteira das comemorações do centenário do vôo do 14-Bis. A diferença deste é que seu autor, o físico carioca Henrique Lins de Barros, não se limita a fazer mais uma biografia de Alberto Santos-Dumont, nem a desfiar seus numerosos sucessos e fracassos. Ele aproveita para falar de outros brasileiros que tentaram resolver o problema do vôo de uma máquina mais pesada que o ar. Além de Dumont, o livro conta as experiências e tentativas de Bartholomeu Lourenço de Gusmão, Júlio Cezar Ribeiro de Souza, Augusto Severo e João d’Alvear, e do francês radicado em Osasco (SP) Demetrie Sensaud de Lavaud. O físico usou um critério claro para escolher esses entre os brasileiros que desenvolveram inventos aeronáuticos: “Focalizei somente aqueles que chegaram ao patamar da realização concreta dos projetos”, escreveu. Com foco nos brasileiros, o físico narra a história do vôo humano e experiências de pioneiros importantes da aviação de outros países. “O vôo só foi possível depois que pessoas de sólida formação técnica e científica puderam entender os elementos que atuavam sobre os aparelhos projetados”, diz Barros na introdução da obra. A edição primorosa é repleta de imagens, escrita com segurança e uma certa liberdade – no primeiro capítulo, Barros imagina um diálogo entre três dos principais pioneiros da aeronáutica, Dumont, Gabriel Voisin e Louis Blériot, para falar sobre o passado e o futuro da aviação.

Republicar