Guia Covid-19
Imprimir PDF Republicar

Formicivora paludicola

Brejos isolam bicudinhos

Bicudinho-do-brejo-paulista: divergência genética grande entre populações

GLAUCIA DEL-RIOBicudinho-do-brejo-paulista: divergência genética grande entre populaçõesGLAUCIA DEL-RIO

Descrito oficialmente no final de 2013, o bicudinho-do-brejo-paulista (Formicivora paludicola) ocorre em apenas 15 brejos perto das nascentes dos rios Tietê e Paraíba do Sul, no entorno da Região Metropolitana de São Paulo. Um estudo coordenado por pesquisadores da Universidade Federal de São Carlos (UFSCar) e da Universidade Estadual Paulista (Unesp), campus de Botucatu, com bicudinhos provenientes dos três brejos mais importantes indica que a população de cada região apresenta níveis de estruturação e diferenciação genética só antes encontrados em grupos isolados de aves que habitam os topos de montanhas na África (PLoS One, 8 de outubro). Cada população vive em um brejo distante cerca de 60 quilômetros dos outros dois e parece apresentar um elevado grau de adaptação às condições locais. Por isso os autores do trabalho recomendam não transferir exemplares de uma localidade para outra. O artigo também traz um dado relativamente otimista sobre a espécie que desde sua descoberta se sabe criticamente ameaçada de extinção: a população total pode chegar a 600 aves, o dobro da inicialmente estimada.

Republicar