guia do novo coronavirus
Imprimir Republicar

VideoSaúde

Canal Pesquisa FAPESP ganha prêmio

Vídeo sobre vacinas dirigido por Diana Zatz Mussi foi considerado o melhor curta-metragem pela VI Mostra VideoSaúde da Fiocruz

Maria GuimarãesDiana Zatz foi premiada pelo melhor curta-metragemMaria Guimarães

A premiação da VI Mostra VideoSaúde da Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz), no Rio de Janeiro, aconteceu nesta quinta-feira, 24 de setembro. O vídeo “Perfil: Guido Carlos Levi” de Pesquisa FAPESP, publicado em 2016 com direção de Diana Zatz Mussi, foi o vencedor na categoria curta-metragem. O jornalista Rodrigo Murtinho, diretor do Instituto de Comunicação e Informação Científica e Tecnológica em Saúde (Icict), da Fiocruz, destacou que o evento busca expandir os olhares sobre a ciência por meio de vídeos produzidos por realizadores de diferentes áreas.

Em um momento no qual a eficácia e a segurança da vacinação são postas em dúvida por certos grupos, o infectologista Guido Levi traz uma importante reflexão ao afirmar que as vacinas são vítimas do próprio sucesso, já que a maior parte das pessoas hoje nunca viu uma série de graves doenças e para de lhes dar importância.

Foram 104 vídeos inscritos, dos quais 36 chegaram à comissão julgadora. Premiado como melhor média-metragem, o pernambucano “Simbiose”, de Júlia Morim, tem como personagem central a parteira conhecida como Dona Prazeres e revela uma conjunção de conhecimentos que trata o nascimento e a gestante com uma complexidade maior do que uma questão de corpos humanos. Em “À queima-roupa”, melhor longa-metragem, Theresa Jessouroun expõe a brutalidade das execuções cometidas por milícias no Rio de Janeiro. Ultrapassando uma visão estrita de saúde, a violência aparece como uma doença da sociedade.

A visão social teve ampla presença na premiação. “A primeira pedra”, sobre linchamentos, de Vladimir Seixas, ganhou o prêmio especial do júri, enquanto o júri popular – determinado por votação na internet – selecionou “Corações paraibanos”, de Ricardo Puppe, sobre esforços da Rede de Cardiologia Pediátrica da Paraíba de detectar e tratar cardiopatias em crianças de uma região com pouco acesso ao sistema de saúde, e “Eu não sou Napoleão”, de Rogério Faria Jr., que reflete sobre a loucura e o sistema manicomial.

Duas menções honrosas foram concedidas. A “A beleza do crepúsculo”, de Jonas Feitosa e Raíssa Cardoso, fala sobre o envelhecimento no morro do Dendê, Rio de Janeiro. O segundo, “Diálogos entre saberes e sistemas de cura”, de Caio Polesi, mostra o diálogo entre o conhecimento médico e as práticas tradicionais indígenas no tratamento aos povos do Xingu, na Amazônia, como parte da série comemorativa dos 25 anos da Universidade Federal de São Paulo (Unifesp).

Os vídeos selecionados podem ser vistos no site da mostra. Além disso, todos os inscritos passam a integrar o acervo da VideoSaúde Distribuidora da Fiocruz, que pretende fazer mostras itinerantes para exibir as produções em diferentes contextos, aumentando o alcance da informação.

Republicar