guia do novo coronavirus
Imprimir PDF Republish

Brasil

Canteiro de obras no gelo

Passa por uma reforma de emergência a Estação Comandante Ferraz, base brasileira erguida em 1984 na ilha Rei George, na Antártica. Estão sendo gastos R$ 2,7 milhões do orçamento da Marinha para reconstruir o piso da estação, tirar a ferrugem das paredes, consertar o sistema de aquecimento e reaparelhar as instalações – resolvendo problemas que se acumulam há anos e ameaçavam inviabilizar as pesquisas científicas feitas na base. A reforma começou agora para aproveitar o clima menos frio e seguirá até março. O Ministério da Marinha decidiu bancar a reforma, apesar de não ser a única pasta envolvida no Programa Antártico Brasileiro (Proantar). Mas o Ministério da Ciência e Tecnologia (MCT), também engajado no programa, acenou com a possibilidade de usar recursos de fundos setoriais para ressarcir a Marinha e investir mais nas pesquisas. A expectativa é liberar R$ 10 milhões anuais até 2008 para continuar a reforma. A partir de 2009 seriam destinados R$ 6 milhões por ano, para manutenção. Construída de forma modular interligada a partir de contêineres navais de aço galvanizado, a estação pode hospedar cerca de 40 pessoas durante o verão e 12 durante o inverno. O MCT também planeja substituir o Ary Rongel, navio do Proantar, cuja manutenção custa R$ 2 milhões por ano.

Republish