guia do novo coronavirus
Imprimir PDF Republicar

ONU

Celebração especial da luz

Experimento com átomos de sódio e lasers no Cepof, em São Carlos

léo ramosExperimento com átomos de sódio e lasers no Cepof, em São Carlosléo ramos

A Organização das Nações Unidas (ONU) declarou 2015 como o Ano Internacional da Luz e a maioria dos países programou eventos e exposições sobre a importância das tecnologias associadas à luz na busca de soluções para os desafios nos campos da energia, educação, agricultura e saúde. No início de janeiro, uma conferência mundial sobre física quântica, realizada nos Estados Unidos, discutiu a física de nanolasers e máquinas de calor quânticas. Na Nova Zelândia, um evento reunirá ao longo do ano 23 artistas e 14 pesquisadores em trabalhos envolvendo luzes, com o objetivo de mostrar o lado artístico da ciência. No Brasil, já há vários eventos programados pela Sociedade Brasileira para o Progresso da Ciência (SBPC). O físico Vanderlei Bagnato, coordenador do Centro de Pesquisas em Óptica e Fotônica (Cepof), um dos Centros de Pesquisa, Inovação e Difusão (Cepid) da FAPESP, é um dos organizadores do ano internacional no Brasil. “Queremos conscientizar as pessoas sobre a influência da luz em várias áreas do conhecimento”, diz Bagnato. Entre os temas tecnológicos que devem tomar conta dos debates no país, ele destaca alguns desafios da pesquisa em óptica, como o uso da luz para fazer o diagnóstico precoce de câncer e outras doenças e o aproveitamento da fotoquímica para eliminar pragas da agricultura.

Republicar