guia do novo coronavirus
Imprimir PDF Republicar

Jornalismo Científico

Compreender e explicar

Programa da FAPESP vai apoiar a formação de profissionais especializados em informação científica

A FAPESP lançará, no próximo dia 21 de outubro, o Programa José Reis de Incentivo ao Jornalismo Científico, uma iniciativa que envolve empresas de comunicação, faculdades e a Fundação com o objetivo de capacitar jornalistas na divulgação da ciência e da tecnologia. Com essa iniciativa, a Fundação dá mais um importante passo no cumprimento de um dos seus objetivos estatutários – a divulgação científica. No mesmo dia, será lançado o livro Do Laboratório à Sociedade, reunindo reportagens sobre 20 projetos temáticos pulicados no Notícias FAPESP.

“O Programa José Reis de Incentivo ao Jornalismo Científico insere-se perfeitamente na filosofia da FAPESP de, em seus diversos programas especiais, agir como ponte entre o sistema de pesquisa e vários segmentos da sociedade”, assinala José Fernando Perez, diretor científico. Ele especifica: “Ponte entre o sistema de pesquisa e o ensino, por meio dos programas de melhoria da educação; entre a pesquisa e a indústria, por meio dos programas de inovação tecnológica, e entre a pesquisa e o governo, através do programa de políticas públicas.” No caso do novo programa, na avaliação de Perez, a FAPESP e a mídia intermediarão o contato entre o sistema de pesquisa e a sociedade em geral.

“Esta relação é muito importante”, diz o diretor científico da FAPESP. Em primeiro lugar, segundo ele, porque é o cidadão, em última análise, que financia o investimento em ciência e desconhece o impacto e a qualidade do que vem sendo realizado. Em segundo lugar, porque um mínimo de informação sobre ciência é essencial para o exercício da cidadania. “Hoje, a informação contida em um exame de sangue pode afetar a empregabilidade e toda a inserção social de um indivíduo, e ele precisa estar informado”, adverte Perez. “Além disso, será a informação científica que lhe permitirá posicionar-se de forma equilibrada sobre assuntos que afetarão diretamente a sua vida, como o uso de transgênicos, por exemplo.”

Parceria eclética
O Programa José Reis de Incentivo ao Jornalismo Científico foi concebido de forma a envolver de maneira harmônica e integrada três segmentos: a empresa de comunicação ou a mídia acadêmica, a instituição acadêmica que fornece curso de jornalismo e o sistema de pesquisa, por meio do pesquisador. Está prevista a concessão de bolsas remuneradas concedidas pela FAPESP para estudantes de jornalismo e jornalistas graduados, os quais trabalharão em estreita ligação com aqueles três segmentos. A bolsa se destina a apoiar a execução de uma proposta de pesquisa, que resulte em documentos jornalísticos de divulgação e ao cumprimento de um programa de estudos.

À instituição acadêmica caberá fornecer cursos de introdução ao jornalismo científico, sendo que uma das finalidades do programa é exatamente incentivar a criação desses cursos, que deverão ser freqüentados obrigatoriamente pelos bolsistas. Ao pesquisador cabe supervisionar a realização da proposta de pesquisa e cumprimento do programa de estudos. Às empresas de comunicação ou à mídia acadêmica caberá supervisionar o estágio profissional do bolsista a elas vinculado e veicular as reportagens. “Existe uma preocupação em conciliar oferta e demanda, isto é, não adianta o curso gerar reportagens ou relatórios que vão ficar na gaveta das empresas de comunicação”, destaca Perez.

Ele cita, ainda, um artigo recentemente publicado pela revista Nature, no qual se verifica que o nível de apoio ao investimento público em pesquisa é decorrente não do aumento da formação científica média da sociedade norte-americana, mas de um jornalismo científico capaz de sensilibilizar a sociedade para o potencial de benefícios que ela pode auferir do conhecimento e do próprio fascínio que a ciência exerce sobre a sociedade. “Com esse programa, queremos tornar a informação científica de qualidade uma rotina em nossa mídia”, afirma.

Dupla homenagem
A escolha do nome do cientista e jornalista José Reis para o novo programa da FAPESP tem um duplo significado. De um lado, homenageia-se um dos pioneiros do jornalismo científico no País. “Não temos medo de sermos repetitivos (o CNPq – Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico possui o Prêmio José Reis de Jornalismo Científico)”, diz José Fernando Perez. “José Reis é um nome muito ligado à história da FAPESP. A Fundação foi inscrita na Constituição paulista de 1947, mas José Reis escrevia sobre ela desde 1945. Mesmo depois da Constituição, ele continuou escrevendo artigos, um dos mais importantes publicados na revista Anhembi, no qual fez uma espécie de resenha do que deveria ser a FAPESP e em que se percebe que ele era uma espécie de porta-voz de toda uma comunidade de pesquisadores do Estado de São Paulo.”

Assim, ao dar o nome de José Reis ao seu Programa de Incentivo ao Jornalismo Científico, a FAPESP faz uma homenagem a ele também pela sua contribuição à criação e consolidação da Fundação e, por extensão, à comunidade científica responsável pela instituição.

Programa José Reis de Incentivo ao Jornalismo Científico
1. Justificativa e Objetivos
O fortalecimento do sistema de ciência e tecnologia de um país requer a divulgação adequada e sistemática, por todos os meios de comunicação, dos resultados das atividades de pesquisa nele desenvolvidas. Por um lado, o desenvolvimento desse sistema depende decisivamente do apoio da sociedade que o sustenta, da implantação firme e generalizada da atitude de valorização da busca e aplicação do conhecimento.

É evidente que esse apoio será tanto mais efetivo quanto melhor informada estiver a sociedade a respeito da extensão, potencial e limitações das atividades de pesquisa. Por outro lado, são inúmeros os desafios e problemas com que se defronta a sociedade como um todo em função da acelerada ampliação dos horizontes de aplicação da ciência. Até mesmo para o exercício intenso e equilibrado da cidadania, faz-se, pois, necessária a difusão ampla das informações científicas, pressuposto indispensável da tomada de decisões apropriadas.

O desenvolvimento experimentado pela pesquisa científica brasileira nos últimos 30 anos, atestado por todos os indicadores relevantes de qualidade e quantidade, não tem sido acompanhado pela intensificação, na mesma proporção, das atividades de divulgação de seus resultados. De modo geral, a sociedade brasileira não demonstra um interesse significativo pelo curso e pelos produtos da ciência. Isso se deve, em grande parte, à carência de jornalistas com motivação específica e formação adequada no campo do jornalismo científico.

Nos países cientificamente mais desenvolvidos, o apoio da população aos investimentos em pesquisa científica e tecnológica é creditado à qualidade do jornalismo lá praticado. Assim, estudo recentemente realizado pela National Science Foundation, publicado na revista Nature, vol. 394, p. 107, atribui a visão majoritariamente favorável da opinião pública americana a respeito do impacto social das atividades científicas e tecnológicas à intensa cobertura jornalística de que tais atividades são objeto nos diferentes meios de comunicação.

O presente programa tem por objetivo contribuir para a superação dessa carência, estimulando a formação de profissionais especializados no campo do jornalismo científico. Em suas linhas regulares de auxílio, a FAPESP já apóia a divulgação de resultados de pesquisa no interior da comunidade dos pesquisadores, na forma de auxílios à organização de eventos, à participação de pesquisadores em eventos e à publicação de livros, artigos e periódicos especializados. Com este programa, passará a apoiar também a divulgação desses resultados para o público não especializado.

Trata-se de conceder Bolsas de Jornalismo Científico, destinadas a apoiar a execução de propostas de pesquisa jornalística, que resultem na produção de documentos jornalísticos de divulgação, em veículos de comunicaçãode qualquer natureza – jornais, revistas, rádio, televisão, mídia eletrônica, etc. – e de um ou mais projetos ou programas de pesquisa, paralelamente ao cumprimento de um programa específico de estudos. Esse programa deve incluir a realização de um Curso de Introdução ao Jornalismo Científico. Um dos objetivos específicos do programa é precisamente estimular a criação de tais cursos, dentro e fora do âmbito acadêmico, eventualmente com o patrocínio de empresas de comunicação.

2. Bolsas de Jornalismo Científico
A FAPESP concederá anualmente um certo número de bolsas de Iniciação ao Jornalismo Científico, após processo de avaliação competitivo, a candidatos já aceitos como alunos por um Curso de Introdução ao Jornalismo Científico e como estagiários por empresa de comunicação ou departamento de comunicação de uma instituição de pesquisa. A bolsa é destinada a apoiar a execução de uma proposta de pesquisa jornalística, que resulte numa série de documentos jornalísticos de divulgação de um ou mais projetos ou programas de pesquisa científica ou tecnológica, em adição ao cumprimento de um programa de estudos que vise ao aperfeiçoamento no campo do jornalismo científico e à realização de um estágio profissional de jornalismo científico em tal empresa ou departamento.

A realização da proposta de pesquisa jornalística e o cumprimento do programa de estudos devem ser supervisionados por pesquisador experiente na área científica ou tecnológica a que se refira a proposta jornalística ou por jornalista com ampla e documentada experiência profissional em divulgação de assuntos de Ciência e Tecnologia. Esse supervisor será o responsável pela solicitação perante a FAPESP. O estágio profissional deve ser supervisionado por jornalista vinculado à empresa ou departamento em que ele se realize.

As bolsas, com duração de seis meses e renováveis por no máximo mais 6 meses, terão valor compatível com o nível de formação do bolsista. A alunos de cursos de graduação, serão concedidas bolsas de Iniciação ao Jornalismo Científico I, de valor correspondente ao das bolsas regulares de Iniciação Científica. Àqueles que tenham diploma de curso superior, serão concedidas bolsas de Iniciação ao Jornalismo Científico II, de valor correspondente ao das bolsas regulares de Mestrado I.

Àqueles que tenham o título de mestre, serão concedidas bolsas de Iniciação ao Jornalismo Científico III, de valor correspondente ao das bolsas regulares de Doutorado I. A renovação da bolsa dependerá do desempenho do bolsista, avaliado pelo seu relatório de atividades. Os candidatos às diferentes categorias de bolsa serão selecionados por meio de processos distintos de avaliação.

Durante o período de vigência da bolsa, o bolsista não poderá manter vínculo empregatício, sendo-lhes vedada a realização de atividades remuneradas de qualquer natureza.

As bolsas apenas serão concedidas após a aprovação do candidato em teste de proficiência em língua inglesa reconhecido pela FAPESP.

3. Projetos de Pesquisa Jornalística
O candidato à bolsa deverá encaminhar à FAPESP uma proposta de pesquisa jornalística, avalizada por seus supervisores, que inclua no mínimo as seguintes informações.

1. Título,resumo e orçamento do projeto, conjunto de projetos ou programa de pesquisa científica ou tecnológica que será objeto de sua pesquisa jornalística, e identificação das fontes de financiamento desses projetos.
2. Justificação da escolha desse projeto, conjunto de projetos ou programa de pesquisa científica ou tecnológica, em termos de sua relevância científica, tecnológica, cultural, econômica ou social.
3. Identificação dos pesquisadores envolvidos nas pesquisas científicas ou tecnológicas que serão objeto da pesquisa jornalística.
4. Descrição e cronograma das atividades previstas para a realização da proposta de pesquisa jornalística.

O trabalho do bolsista deve resultar em documentos de boa qualidade tanto do ponto de vista jornalístico como do ponto de vista científico. Em particular, deverá abordar a história do desenvolvimento dos projetos científicos ou tecnológicos de que se ocupa, situá-los no contexto nacional e internacional, evidenciar sua relevância científica, tecnológica, cultural, social e econômica e apontar seus possíveis desdobramentos. Deverá também aquilatar o impacto potencial da execução desses projetos na formação de recursos humanos, na difusão do conhecimento e na transferência de conhecimentos para os setores público e privado.

Espera-se que os documentos produzidos sejam capazes de informar o público e, ao mesmo tempo, de despertar seu interesse e educá-lo na área do conhecimento em questão. Serão consideradas prioritárias propostas que se refiram a projetos de pesquisa científica ou tecnológica apoiados pela FAPESP. O aval da empresa ou departamento em que se realize o estágio deve implicar sua disposição, em princípio, para veicular os documentos produzidos, caso os julgue de boa qualidade. Essa veiculação será item importante de avaliação do relatório final do bolsista.

4. Programa de Estudos e Curso de Introdução ao Jornalismo Científico
O candidato a uma bolsa deverá apresentar um programa de estudos, avalizado por seu supervisor, destinado a propiciar seu aperfeiçoamento no campo do jornalismo científico. Esse programa de estudos deve incluir a realização de um Curso de Introdução ao Jornalismo Científico, oferecido por instituição acadêmica ou não, com duração mínima de um semestre letivo. O elenco das disciplinas, correspondentes, no mínimo, a 90 horas-aula, deverá proporcionar o tratamento, em nível introdutório, ao menos dos seguintes tópicos.

1. Metodologia e Filosofia da Ciência.
2. História da Ciência e da Tecnologia.
3. Ética da Ciência.
4. Temas centrais da ciência contemporânea.
5. Modos de organização e financiamento dos sistemas de pesquisa, no Brasil e no exterior.
6. Mídias, linguagens e prática do jornalismo científico.

A solicitação de bolsa deve ser acompanhada da descrição detalhada do curso de Introdução ao Jornalismo Científico a ser seguido, que inclua a carga didática prevista, a lista das disciplinas, com as respectivas ementas, e a lista dos professores por elas responsáveis. A qualidade do curso proposto será elemento importante no processo de avaliação das solicitações.

Republicar