Guia Covid-19
Imprimir PDF Republicar

Gestão da Inovação

Conhecimento inquieto

José Cláudio Terra criou sua empresa a partir da tese de doutorado

ACERVO PESSOAL“Sou um semiacadêmico”, reconhece o engenheiro e empresário José Cláudio Terra, cuja inquietação causou certo desconforto para os primeiros leitores de sua tese de doutorado, apresentada em 1999, no Departamento de Engenharia de Produção da Escola Politécnica da Universidade de São Paulo (USP). Ele se lembra de que um dos examinadores perguntou: “Quem é você para propor esse modelo novo de gestão de conhecimento?” e preferia que ele tivesse valorizado mais as visões dos autores consagrados do que as dele próprio.

Terra não queria que a tese, sobre gestão pró-ativa do conhecimento nas empresas, ficasse parada nas bibliotecas. Não ficou. Um ano depois saiu na forma de livro. O segundo livro, sobre portais corporativos, ele escreveu quando trabalhou nos Estados Unidos e Canadá, para onde foi atraído pelo monumental crescimento da então incipiente internet.

Como as empresas em que estava fecharam, ele voltou ao Brasil e, com base nos modelos de gestão de conhecimento propostos em sua tese, em 2002 ele abriu sua própria empresa, a TerraForum Consultores, integrando serviços de consultoria, criação, design, vídeo e tecnologia.

Como empreendedor apoiado em conhecimento acadêmico, ele tinha em mente, desde o início, que teria depois de vender a empresa. “Demorou 10 anos.” Em 2012 a Globant, multinacional que desenvolve programas de computador para empresas de grande audiência, comprou a TerraForum. Terra continua como diretor-geral, auxiliando na fase de transição.

“O que fazemos, em termos estratégicos e operacionais, é mobilizar cérebros para a gestão do conhecimento nas organizações”, ele relata. Isso quer dizer, por exemplo, identificar, valorizar e aplicar o conhecimento estratégico para gerar patentes ou novos produtos.

Terra escreve artigos acadêmicos e, mais intensamente, livros – o décimo, Dez dimensões da gestão da inovação, saiu em 2012. “Desde o doutorado, nunca parei de dar aulas em cursos de MBA e de fazer palestras”, ele diz.“Nunca saí totalmente da academia e sempre gostei da liberdade de seguir meus próprios caminhos.”

Republicar