Guia Covid-19
Imprimir PDF Republicar

Tecnociência

Contaminação no campo

Engana-se quem pensa que as águas do meio rural são puras e estão livres da contaminação. Para o médico veterinário Luiz Augusto do Amaral, professor da Faculdade de Ciências Agrárias e Veterinárias da Universidade Estadual Paulista (Unesp), em Jaboticabal, autor de vários estudos sobre o tema, “a situação é calamitosa”. Em uma de suas pesquisas, financiada pela FAPESP e concluída recentemente, ele avalia a qualidade da água usada em propriedades leiteiras da região nordeste do Estado de São Paulo. “No meio rural, quase não há saneamento básico e, na maioria das vezes, o manejo dos dejetos animais é inadequado. Isso faz com que fezes e urina contaminem poços rasos, minas e lençóis freáticos.”

Para demonstrar sua tese, Amaral apresenta números colhidos em mais de uma dúzia de trabalhos conduzidos por ele. “Nas fazendas leiteiras de Jaboticabal, 92,9% das amostras de água coletadas em bebedouros humanos estavam fora dos padrões microbiológicos de potabilidade”, afirma. “Em granjas produtoras de suínos, na mesma região, o índice atingiu 77%, e em poços na periferia de Franca, 96,7% das amostras coletadas estavam em desacordo com a regulamentação.” A pesquisadora Maria Adriana Machado Lobo e Silva, da Faculdade de Medicina Veterinária Octávio Bastos, de São João da Boa Vista, também chegou a conclusão semelhante.

Pesquisa financiada pela FAPESP apontou que é muito alto o índice de contaminação das águas subterrâneas, dos poços rasos e das nascentes das propriedades que integraram a amostragem. “Aproximadamente 90% dos lençóis subterrâneos utilizados em fazendas leiteiras apresentaram precária qualidade higiênico-sanitária.” Várias ações podem ser adotadas para combater o problema, afirmam os especialistas, a começar pelo tratamento adequado dos dejetos animais e humanos nas propriedades rurais. Para isso, uma alternativa seria o uso de biodigestores. Esses equipamentos transformariam os excrementos em biofertilizantes com características bem superiores ao dejeto in natura e ainda produziriam biogás para ser usado como fonte de energia.

Republicar