guia do novo coronavirus
Imprimir PDF Republicar

Comemoração

Debate em Washington

Wilson Center sedia simpósio sobre a ciência brasileira que marca os 50 anos da FAPESP

wilson centerSede do Wilson Center: discussões sobre grandes temaswilson center

Um simpósio em Washington no final de outubro fará parte das comemorações dos 50 anos da FAPESP, que se completam em maio de 2012. A FAPESP Week acontece entre os dias 24 e 26 de outubro, no Woodrow Wilson International Center for Scholars, na capital norte-americana, e vai promover debates entre cientistas brasileiros de diversos campos do conhecimento, cujos temas de pesquisas têm sido apoiados pela Fundação, e colegas dos Estados Unidos. As sessões abrangerão temas como óptica e fotônica, mudanças climáticas, biodiversidade, genômica, bioenergia, câncer, vacinas, doenças infecciosas e tropicais e o estudo das relações entre Brasil e Estados Unidos. O evento é promovido pelo Wilson Center, a National Science Foundation, a Ohio State University e a FAPESP.

O Wilson Center é um memorial criado pelo Congresso dos Estados Unidos em 1968 para lembrar o presidente que governou o país entre 1913 e 1921. Tornou-se um fórum de debates entre intelectuais e especialistas sobre grandes questões, com ênfase nas humanidades e nas ciências sociais. Em 2006 criou dentro de seu programa latino-americano o Brazil Institute, dirigido pelo jornalista Paulo Sotero, cujo foco são as relações entre o Brasil e os Estados Unidos. A sessão de abertura, no dia 24, terá a participação de Celso Lafer, presidente da FAPESP; Michael van Dusen, vice-diretor do Wilson Center; Cora Marrett, vice-diretora da National Science Foundation; Daniel Janies, do Ohio State University Medical Center; e de Paulo Sotero. Em seguida, o diretor científico da FAPESP, Carlos Henrique de Brito Cruz, apresentará um panorama da ciência e da tecnologia no estado de São Paulo.

As sessões do primeiro dia abordarão temas sobre os quais os pesquisadores paulistas têm produzido contribuição expressiva. O primeiro deles será óptica e fotônica, campo explorado por dois dos 11 Centros de Pesquisa, Inovação e Difusão (Cepid), da FAPESP. Em seguida, os assuntos serão biodiversidade e mudanças climáticas, que inspiraram dois programas especiais da Fundação, o Biota-FAPESP e o Programa FAPESP de Pesquisa sobre Mudanças Climáticas Globais. Também estão previstas uma palestra do biólogo norte-americano Thomas Lovejoy, criador do conceito de biodiversidade e um estudioso da Amazônia, e a exposição Brazilian nature mystery and destiny, que se baseia em imagens e dados de três projetos financiados pela FAPESP, a Flora brasiliensis on-line, a Flora fanerogâmica do estado de São Paulo e o Biota-FAPESP.

No segundo dia, os temas abordados serão a genômica de plantas e a bioenergia, alvos do Programa FAPESP de Pesquisa em Bioenergia (Bioen). Na parte da tarde, as discussões terão como motes as relações entre Brasil e Estados Unidos, objeto de análise tanto de pesquisadores paulistas quanto do Brazil Institute do Wilson Center, e estudos em ciência política e política urbana. No terceiro e último dia, os assuntos em debate serão o desenvolvimento de drogas e vacinas no Brasil, a pesquisa sobre câncer, células-tronco e doenças genéticas, doenças infecciosas e doenças tropicais.

Veja a programação completa

Republicar