guia do novo coronavirus
Imprimir PDF Republicar

Tecnociência

Divulgação científica na TV é tema de mostra

Como levar Ciência através da televisão de uma forma atraente e agradável ao público? Realizada mês passado no Centro Cultural Banco do Brasil, no Rio de Janeiro, e em cartaz até 7 de novembro no Estação Ciência de São Paulo, a 4ª Mostra Internacional de Ciência na TV apresenta um panorama da atual produção televisiva nacional e internacional voltada à divulgação científica e tecnológica.

Fazem parte da Mostra cerca de 100 programas – em sua maioria inéditos no Brasil-, veiculados por emissoras de 22 países nos dois últimos anos. O Ver Ciência 98 teve ainda (no Rio) a participação de nomes como Annick Demeule, secretária-geral do Festival “Rencontres Internationales de l’Audiovisual Scientifique – Image et Science“, e do editor da BBC Michael Mosley, que apresentou as novas produções da emissora britânica, como “O Corpo Humano”, filmada dentro do corpo de uma menina ao entrar na puberdade, mostrando as transformações que ocorrem no seu organismo.

Outra série inédita, “Os Mortais da Mir”, conta a desastrosa aventura vivida por quatro astronautas durante um ano na estação orbital Mir. “Prisioneiros da Peste Esquecida” mostra um vírus desconhecido que matou milhares de pessoas no passado, sendo ainda hoje um mistério que preocupa os cientistas. Segundo Michael Mosley, o segredo do sucesso de suas séries é a combinação de histórias aterrorizantes com belas imagens, produzidas como se fossem filmes.

Um bom exemplo é a série “Encontro com os ancestrais”, em que ele usou os mesmos recursos de computação gráfica usados por Spielberg para animar dinossauros. O público pode ainda assistir a alguns programas científicos africanos. Num deles, uma menina chamada Vida dá dicasde como se proteger da Aids e outras doenças sexualmente transmissíveis, visitando grupos de risco. Um outro, da televisão tunisiana, exibe como é feita a diálise em pleno deserto.

A clonagem é outro tema em destaque. O vídeo inglês “Está tudo nos genes” mostra como é feita a técnica e discute as questões éticas envolvidas na revolução genética. Um programa norueguês voltado à engenharia mostra uma diferente – e cientificamente possível – opção para se atravessar um fiorde, sem usar barcos ou ponte: um tubo submerso (não subterrâneo) feito de estrutura metálica, dentro do qual passam os veículos. A reportagem do vídeo japonês “Descida em Marte” traz cenas inéditas da sonda Pathfinder, desde os testes de seus sofisticados equipamentos até os passeios do robô Sojourner.

O Brasil está representado por programas como “O Professor”, que ensina princípios científicos através da relação de um professor-cientista com seus alunos, e “Olhando para o Céu”, sobre astronomia, ambos da TV Cultura. Também faz parte da Mostra a série “Navegar é preciso”, apresentada no Globo Ciência, que narra como se deu a evolução tecnológica dos instrumentos de navegação marítima e espacial.

Republicar