guia do novo coronavirus
Imprimir PDF Republicar

Estratégias

DNA do Ebola no carro

Laura BeatrizA prisão na fronteira dos Estados Unidos de um pesquisador vindo do Canadá que portava 22 amostras não infecciosas do DNA do vírus Ebola levantou dúvidas sobre a segurança de laboratórios que guardam patógenos perigosos. Konan Michel Yao, 42 anos, nascido na Costa do Marfim e naturalizado canadense, resolveu procurar emprego nos Estados Unidos depois que expirou seu contrato no Laboratório Nacional Canadense de Microbiologia, em Winnipeg. Segundo a versão que apresentou à polícia, decidiu levar as amostras para utilizá-las em pesquisas num futuro emprego. A agência de saúde pública canadense só soube do sumiço do material após a prisão. “Mas se tratava apenas de material genético, sem risco infeccioso”, disse Frank Plummer, diretor do laboratório, segundo o jornal canadense National Post. Segundo ele, Yao nunca teve acesso a patógenos perigosos, como os vírus da gripe suí­na, do HIV ou do Ebola. Preso, Yao responderá a processo por contrabando e declaração falsa às autoridades.

Republicar