Imprimir Republicar

BOAS PRÁTICAS

Editora anuncia retratação de mais de 500 artigos por indícios de manipulação na revisão por pares

Revisores e editores trabalharam de forma combinada e irregular para viabilizar publicação de papers

A editora Hindawi, sediada em Londres e vinculada ao grupo norte-americano John Wiley & Sons, anunciou em setembro que retratará 511 artigos publicados em 16 de suas 230 revistas científicas. A decisão se deu após investigações internas terem identificado evidências de manipulação no processo de revisão por pares. Richard Bennett, vice-presidente de Serviços de Pesquisa e Publicação da Hindawi, informou ao site Retraction Watch que a editora foi vítima de “grupos coordenados de revisão”, compostos por editores e avaliadores de papers que trabalharam de forma combinada e irregular para viabilizar a publicação de determinados artigos – em alguns casos, há indícios de que os manuscritos foram produzidos por fábricas de papers, serviços ilegais que produzem trabalhos sob demanda, quase sempre com dados falsos.

As investigações tiveram início em abril, após o editor-chefe de uma das revistas da Hindawi ter manifestado preocupação sobre trabalhos publicados em uma edição especial do periódico. Ao analisá-los em detalhes, a equipe de integridade em pesquisa da editora identificou um padrão de atividade irregular por parte dos avaliadores. Muitos pareceres apresentavam textos duplicados. Também houve casos de pareceristas que participaram da avaliação de muitos artigos e de outros que entregaram suas revisões muito rapidamente. Quando a investigação foi aprofundada, a editora constatou que o mesmo grupo estava envolvido em revisões de papers de outras revistas do portfólio da editora.

Por ora, foram identificados 511 artigos com avaliações comprometidas, mas é possível que esse número seja maior, uma vez que a apuração ainda está em andamento. Os envolvidos na manipulação foram banidos da Hindawi e sua atividade irregular será informada às instituições a que pertencem e a outras editoras.

No início de setembro, a editora IOP Publishing, do Reino Unido, também anunciou que irá retirar do ar quase 500 artigos por suspeitas de terem sido produzidos por fábricas de papers. Em agosto, a PLOS anunciou a retratação mais de 100 artigos de seu principal periódico por causa de revisões manipuladas.

Republicar