guia do novo coronavirus
Imprimir PDF Republicar

Mundo

Estimuladas pelo Prozac

Uma equipe do Laboratório Cold Spring Harbor Laboratory descobriu quais células do cérebro são acionadas pela fluoxetina, o fármaco do antidepressivo mais conhecido no mundo, o Prozac, e comandam as respostas dos neurônios em face da escassez do neurotransmissor serotonina, que pode levar à depressão. Já se sabia que esse medicamento aplacava os sintomas da depressão mobilizando mais neurônios em algumas regiões do cérebro. Analisando os diferentes tipos de células do cérebro de camundongos marcadas com uma proteína, a equipe de Grigori Enikolopov demonstrou que a fluoxetina age no segundo passo da formação de neurônios a partir de células-tronco do cérebro, estimulando a atividade de um tipo de células chamadas progenitores neurais amplificados (ANP). A descoberta ajuda a explicar os fatores que controlam o modo, o momento e o lugar em que novos neurônios são formados, a partir das células-tronco do cérebro, e pode levar a uma nova geração de tratamentos mais específicos e com menos efeitos colaterais que os em uso atualmente contra distúrbios mentais.

Republicar