guia do novo coronavirus
Imprimir PDF Republish

Estudantes empreendedores

Estudantes empreendedores

Swathi Sridharan / ICRISAT Aluno da Universidade Kenyatta: produtosSwathi Sridharan / ICRISAT

A Universidade Kenyatta, a segunda maior do Quênia, criou uma incubadora de negócios em seu campus em Nairóbi para transformar ideias de estudantes em produtos comerciais. O Centro de Incubação e Inovação Empresarial Chandaria é, segundo seus idealizadores, o primeiro do tipo no leste da África e vai promover pelo menos 50 projetos de estudantes
por ano, com o apoio de uma equipe de mentores da universidade e lideranças industriais. “A criação do centro é baseada em uma parceria público-privada para treinar estudantes com perfil empreendedor, aqueles que, depois de formados, não procuram empregos, mas, sim, criam empregos”, disse à agência SciDev.Net Olive Mugenda, vice-chanceler da Universidade Kenyatta. A iniciativa já tem nove projetos aprovados, como um supermercado on-line, uma unidade de reciclagem de rejeitos plásticos e um sistema de alerta contra roubo, todos desenvolvidos por estudantes. As inovações serão incubadas por um período de seis meses a um ano. A Fundação Chandaria, instituição que promove a saúde e a educação no Quênia, está investindo no centro 25 milhões de xelins quenianos, o equivalente a US$ 275 mil. A universidade vai participar com cifra equivalente. Há outros parceiros da iniciativa, como um fundo empresarial que irá apoiar os alunos após o processo de incubação; o provedor de internet Telkom-Orange, que está oferecendo acesso gratuito à rede; e a Universidade de Western Ontario, do Canadá.

Republish