Guia Covid-19
Imprimir PDF Republicar

Tecnociência

Farinha com peixe

EDUARDO CESARAmazônia: dieta leva a crescimento abaixo do normalEDUARDO CESAR

Eles vivem em casas sobre palafitas na Amazônia e se alimentam sobretudo de farinha de mandioca e peixe. Açaí só na época. Alguns homens têm emprego, mas a maior parte trabalha esporadicamente ou troca açaí por produtos industrializados. São os ribeirinhos das sete comunidades em torno da Floresta Nacional de Caxiuanã, no Pará, estudadas por Barbara Piperata, da Universidade Estadual de Ohio, nos Estados Unidos (American Journal of Physical Anthropology). Para investigar se a inserção na economia de mercado afetou sua nutrição, a antropóloga mediu 471 pessoas de todas as idades e entrevistou os chefes de 85 famílias. Encontrou poucos sinais de mudança: homens com emprego fixo tendem à obesidade, pois fazem três refeições no trabalho. Suas crianças são mais bem nutridas que a média, mas o efeito não se estende para os outros adultos e jovens da família – que continuam a levar uma vida de subsistência. O resultado mais marcante foi uma taxa alta (por volta de 50%) de nanismo na população. São adultos que cresceram menos do que o normal, mas não mostram sinais de carência nutricional, sinal de uma alimentação deficiente  em nutrientes durante o crescimento. Barbara atribui esse crescimento anormal à alimentação à base de farinha quando a criança é desmamada, por volta de 1 ano de idade. Além disso, os ribeirinhos estudados sofrem com diarréias, infecções respiratórias e parasitoses, que em geral não são tratadas. Para a pesquisadora a situação nutricional é preocupante e pode ser responsável por problemas crônicos de saúde.

Republicar