Guia Covid-19
Imprimir PDF Republicar

Investimento

Fase de calmaria

MARIA VERNET Navio de pesquisa L. M. Gould, na Antártida: US$ 50 mil por diaMARIA VERNET

O fluxo de investimentos na frota norte-americana de navios de pesquisa enfrenta uma fase de calmaria que ameaça projetos em vários cantos do planeta, de acordo com reportagem publicada na revista Nature. O número de embarcações está diminuindo. Há 23 navios em operação. Em 2002 eram 27. Projeta-se que haverá apenas 15 em 2017 e 11 em 2025. Os custos são elevados: cada dia de pesquisa no mar custa cerca de US$ 50 mil. Para economizar, o número de dias por ano dedicados pelo conjunto da frota à pesquisa caiu de 5 mil nos anos 1990 para 4 mil atualmente. A frota é supervisionada por um consórcio de 61 institutos de pesquisa e é mantida por recursos da ordem de US$ 80 milhões por ano, vindos do orçamento federal. Esse montante não contempla as verbas para os projetos individuais de pesquisadores, patrocinados por agências como a National Science Foundation (NSF). Não faltam projetos para substituir a frota atual. O que há é uma enorme dificuldade de tirá-los da prancheta. Faz mais de 4 anos que a NSF tenta viabilizar a construção de um navio para a região do Alasca a fim de substituir uma embarcação obsoleta. Até hoje a agência não conseguiu convencer o Congresso a patrocinar o projeto, avaliado em US$ 123 milhões.

Republicar