guia do novo coronavirus
Imprimir PDF Republish

Saúde pública

Focos de barbeiro na cidade de São Paulo

Léo Ramos Chaves O inseto Panstrongylus megistus, transmissor do protozoário causador da doença de ChagasLéo Ramos Chaves

Emergiram dois focos de barbeiros, insetos transmissores do protozoário causador da doença de Chagas, no município de São Paulo: um no zoológico, na zona sul da cidade, e outro no parque da Água Branca, na zona oeste. A situação no zoológico foi delineada em um levantamento realizado pela veterinária Suelen Ferreira, da Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz). Ela coletou 11 barbeiros da espécie Panstrongylus megistus, a que mais preocupa atualmente por ser capaz de viver tanto em matas quanto em espaços domésticos, e constatou que 10 deles estavam infectados com Trypanosoma cruzi, o protozoário causador da doença. Dos 106 animais de cativeiro examinados (principalmente macacos), 25 tinham o parasita, encontrado também em 33 dos 66 mamíferos de vida livre (gambás, roedores e macacos) capturados nas matas vizinhas. No Parque da Água Branca, uma equipe da Superintendência de Controle de Endemias (Sucen) encontrou colônias com ninfas e adultos de P. megistus sob as telhas em que dormem as cerca de mil galinhas mantidas no local.“As aves são refratárias à infecção, mas alimentam com sangue os insetos transmissores da doença”, observa o biólogo Rubens Antonio da Silva, coordenador técnico do programa de controle de doença de Chagas da Sucen. Segundo ele, o risco de transmissão para seres humanos nos dois lugares é baixo.

Republish