guia do novo coronavirus
Imprimir PDF Republicar

Genoma Humano 2

Genoma humano 2

O recente anúncio da Celera, de que completou um milhão de seqüências da mosca de frutas, torna mais factível o seqüenciamento completo do genoma humano até o ano 2000

Em meados de março passado, quando se despedia da equipe de reportagem da Tevê Cultura que fora entrevistá-lo para a série de documentários sobre o projeto pioneiro da genômica no Brasil – o seqüenciamento completo da Xyllela fastidiosa, proposto e financiado pela FAPESP -, Craig Venter disse que o genoma da Drosophila melanogaster estaria seqüenciado entre junho e setembro deste ano.

Dito, e quase feito: na última semana de julho, a Celera Genomics, empresa fundada pelo cientista em maio de 1998, anunciou oficialmente que completara o primeiro milhão de seqüências do DNA da mosca de frutas, o inseto que vem sendo usado como modelo nos laboratórios de genética há mais de 80 anos; informou ter atingido essa marca em três meses de trabalho e declarou que espera completar o trabalho ainda neste agosto de 1999.

Andrew Simpson, coordenador de DNA do projeto de seqüenciamento do genoma da X. fastidiosa, aponta a importância da notícia: se a Celera conseguiu mesmo esse volume de produção, então poderá cumprir sua promessa principal, e razão pela qual Craig Venter fundou a empresa: seqüenciar todo o DNA de nossa espécie até o ano 2000. O doutor Simpson é um dos entrevistados deste segundo encarte especial do Notícias FAPESP sobre o genoma humano. O primeiro, com entrevistas do próprio Craig Venter, de Leroy Hood, Phillip Green e João Carlos Setúbal, foi publicado na edição 43 do informativo.

A notícia divulgada pela Celera sem dúvida aumenta a pressão sobre os cientistas comprometidos com o projeto público de seqüenciamento do genoma humano, que devem cumprir a promessa de tornar disponível uma primeira versão de nosso material genético ainda no primeiro semestre do próximo ano. Um desses cientistas, na linha de frente do projeto, é Robert Waterston, da Washington University. Neste encarte, ele diz quais são as suas preocupações no contexto da corrida disparada por Venter e que os cientistas ligados ao governo norte-americano não querem perder.

Finalmente, a outra entrevistada é Claire Fraser, farmacologista de carreira, atualmente presidente da TIGR – a instituição sem fins lucrativos que Craig Venter deixou para trás quando fundou a Celera. Claire é nome presente no seqüenciamento de todos os genomas bacterianos publicados pela TIGR até hoje e falou sobre a análise comparativa de material genético.

Esses cientistas, e muitos outros entrevistados pela jornalista Mônica Teixeira, autora também dos textos que se seguem, estão na série “Genoma: Em busca dos sonhos da Ciência”, veiculada a partir do dia 16 de agosto, às 21 horas, na TV Cultura de São Paulo. A produção das entrevistas foi um trabalho das repórteres Myrian Clark e Manoela Ziggiati.

Republicar