guia do novo coronavirus
Imprimir PDF Republicar

Tecnociência

Imagens radiológicas com mais nitidez

Um software capaz de melhorar imagens radiológicas vai ajudar na detecção precoce do câncer de mama, doença que mata cerca de 10 mil mulheres por ano no Brasil, segundo dados do Instituto Nacional do Câncer (Inca). De acordo com Marcelo Zanchetta do Nascimento, da Escola de Engenharia de São Carlos, da Universidade de São Paulo (SP), responsável pela pesquisa de mestrado que resultou no software, muitos cânceres são diagnosticados tardiamente devido à má qualidade das radiografias. O programa desenvolvido por Zanchetta corrige o efeito heel – fenômeno causado pelos aparelhos que dificulta a visualização de pequenas estruturas anatômicas nas imagens.

Ele possibilita a identificação de microcalcificações que não podem ser visualizadas por estar com pouco contraste. O sistema funciona da seguinte forma: a imagem é digitalizada e inserida em um computador onde o software tenha sido configurado com os parâmetros utilizados na exposição do filme. Na seqüência, todos os passos do software são aplicados para eliminar o efeito heel e aumentar o contraste dos detalhes. O software corrige todos os pontos da imagem em função do excesso ou da falta de radiação a que a mama foi submetida. Em seguida, constrói-se uma imagem digital com as variações de irradiação uniformizadas, proporcionando uma imagem mais nítida, visualizada na tela do computador.

Esse pré-processamento possibilita realçar a imagem que será analisada pelo médico. Mas a pesquisa ainda não terminou. Zanchetta vai continuar com o tema na sua tese de doutorado, que tem o apoio da FAPESP, para melhorar características como ponto focal e testar o software em bancos de imagens médicas.

Republicar