guia do novo coronavirus
Imprimir PDF Republish

Adolescência

Impacto sobre os ossos

O estudo O esporte e suas implicações na saúde óssea de atletas adolescentes, realizado por três pesquisadores da Faculdade de Medicina da Universidade Estadual Paulista (Unesp), em Botucatu, Carla Cristiane da Silva, Altamir Teixeira e Tamara Goldberg, procurou investigar o papel do treinamento esportivo vigoroso e precoce sobre a saúde óssea de adolescentes. Os autores justificam o estudo: “A adolescência é um período fundamental para a aquisição da massa óssea. Em adolescentes atletas, o pico de massa óssea pode apresentar maior incremento, em virtude do estresse mecânico imposto aos ossos pelo exercício físico praticado”. A pesquisa se baseou na revisão da literatura científica, envolvendo adolescentes atletas de diferentes modalidades e de ambos os sexos, para verificar se de fato a densidade mineral óssea dos atletas é potencializada pelos exercícios. O artigo alerta para a intensidade adequada da prescrição de exercício físico para a população adolescente, uma vez que, caso o treinamento se torne muito extenuante, os benefícios gerados pela atividade sobre a saúde dos ossos podem ser minimizados ou anulados. A conclusão dos autores é de que o grande desafio para quem orienta as atividades esportivas para jovens é convencê-los a assumir uma intensidade constante e adequada e não acima dos limites fisiológicos. “Independente do tipo de esporte praticado, o aumento do treinamento deve ser razoável e coerente com as metas, sendo enfatizado treinamento seguro e eficaz para cada uma das faixas de idade e momentos da maturação biológica, independente dos calendários competitivos”, dizem os autores.

Revista Brasileira de Medicina do Esporte – vol. 9 – nº 6 – Niterói – nov./dez. 2003

Link para a matéria completa

Republish