guia do novo coronavirus
Imprimir PDF Republish

Ionização portátil

Ionização portátil

Uma equipe do Instituto de Química da Universidade Estadual de Campinas (IQ-Unicamp) desenvolveu uma fonte de ionização extremamente simples 
e versátil para uso em espectrômetros de massa convencionais e portáteis. Concebida a partir de um simples cateter cirúrgico, uma agulha de injeção, 
uma lata de ar comprimido e capilares de sílica, a fonte tem custo irrisório e dispensa o uso de eletricidade, lasers, bombas, cilindros ou acessórios de grande porte, podendo ser usada na análise de amostras sólidas e líquidas.“Seguimos 
o princípio da simplicidade e da parcimônia”, afirma o químico Marcos Eberlin, fundador e coordenador do Laboratório ThoMSon de Espectrometria 
de Massas do IQ, onde o invento foi concebido. O projeto da fonte minimalista, que pode ser usada na análise de amostras sólidas e líquidas, foi patenteado pela universidade paulista, com apoio da FAPESP. O artigo que descreve o novo aparelho ganhou a capa da edição de 7 de junho  deste ano da revista científica Analyst, da Royal Society of Chemistry, da Inglaterra.

Republish