guia do novo coronavirus
Imprimir PDF Republicar

Estratégias

Ironia e punição em Caracas

O físico venezuelano Claudio Mendoza foi exonerado da direção do Laboratório de Física Computacional do IVIC (Instituto de Pesquisa Científica da Venezuela), em Caracas, depois de ironizar as supostas aspirações nucleares do presidente Hugo Chávez. Num artigo Mendoza disse que os venezuelanos não devem temer a aliança entre a Venezuela e países com projetos atômicos, como o Irã. Como as autoridades não dão apoio aos pesquisadores do país, não saberiam desenvolver tecnologia nuclear, disse o físico. Juan Gallardo, da Sociedade Americana de Física, disse à revista Nature que há o temor de uma caça às bruxas contra pesquisadores e enviou uma carta a autoridades venezuelanas pedindo detalhes sobre o caso. O diretor do IVIC, Máximo Sucre, reclama que Mendoza se tornara um ativista. “Isso é incompatível com um cargo que exige afinidades com a política científica do país.” Mesmo afastado da direção, Mendoza segue como pesquisador do laboratório. Sucre nega a intenção de demiti-lo. “Ele deve começar a trabalhar em vez de se fazer de vítima para a imprensa.”

Republicar