guia do novo coronavirus
Imprimir PDF Republicar

Rede Islâmica de Mulheres Cientistas

Mais mulheres na ciência

ACU Muçulmanas admitidas em universidade australianaACU

Dos 381 pesquisadores vinculados a comitês científicos da Organização da Conferência Islâmica (OIC, na sigla em inglês), que reúne 56 países muçulmanos, menos de 5% são mulheres. Num esforço para ampliar a participação feminina, a OIC acaba de criar uma rede voltada para conectar as mulheres à base acadêmica do mundo islâmico, estimular a sua participação em programas de treinamento e prêmios internacionais, além de disseminar informações sobre como obter recursos para projetos de pesquisa. A Rede Islâmica de Mulheres Cientistas também vai criar um banco de dados com suas participantes e pretende cooperar com programas regionais bem-sucedidos, como a Rede Árabe de Ciência e Tecnologia para Mulheres, sediada em Bahrein. “As mulheres representam a metade da capacidade intelectual das nações, mas poucos países muçulmanos encorajam-nas a seguir carreira científica”, disse à agência SciDev.Net Syeda Tanvir Naim, membro do comitê das Nações Unidas para mulheres e ciência.

Republicar