Guia Covid-19
Imprimir PDF Republicar

Sem ferrugem

Microcápsulas em tinta inibem corrosão

Imagem de microscopia de cápsulas de poliestireno com substâncias anticorrosão

Poli-USPImagem de microscopia de cápsulas de poliestireno com substâncias anticorrosãoPoli-USP

O combate à corrosão acontece em várias frentes na indústria. Camadas protetoras de uma diversidade grande de produtos garantem a integridade dos metais. O arsenal existente poderá ser fortalecido com mais uma arma: microcápsulas que contêm uma substância inibidora para serem misturadas a tintas, resultado de pesquisa desenvolvida na Escola Politécnica da Universidade de São Paulo (Poli-USP). Elas inibem a corrosão no caso de riscos e choques em chapas metálicas pintadas. A substância encapsulada em microcápsulas de poliestireno contém silanol, um composto químico que tem o silício como principal componente, e o cério, um elemento químico classificado como terra-rara. O novo produto, quando misturado a tintas, consegue impedir o processo de corrosão em dutos e tanques de armazenamento de petróleo. “Quando ocorre um dano mecânico como riscos ou batidas, as cápsulas adicionadas à tinta se rompem e liberam os componentes que agem contra a corrosão”, diz a professora Idalina Vieira Aoki, da Poli-USP, orientadora do engenheiro Fernando Cotting, que pesquisou o composto durante seu mestrado. Outra novidade apresentada é o tipo de inibidor. “A mistura do silanol com íons de cério resulta em uma atividade mais efetiva na proteção contra a corrosão”, diz Idalina. O estudo venceu em julho o Prêmio Petrobras de Tecnologia na área de tecnologia de logística e de transporte de petróleo, gás e derivados. Outras aplicações previstas estão nas chapas metálicas utilizadas na indústria automotiva e em produtos da linha branca, como geladeiras e máquinas de lavar, além de armários de aço para escritório.

Republicar