guia do novo coronavirus
Imprimir PDF Republicar

Materiais

Microondas científico

O uso de microondas no processamento e obtenção de materiais tem adquirido crescente interesse por parte de áreas do conhecimento como a química e a engenharia de materiais, aponta o estudo “Síntese e processamento de cerâmicas em forno de microondas doméstico”. Nesse sentido, aparatos especialmente projetados têm sido descritos na literatura, como reatores e câmaras de processamento a microondas, com aplicação na pesquisa e na indústria. O trabalho é assinado por pesquisadores do Centro Multidisciplinar de Desenvolvimento de Materiais Cerâmicos (CMDMC), que funciona na Universidade Estadual Paulista (Unesp), em Araraquara, e na Universidade Federal de São Carlos (UFSCar). Cientistas do Laboratório de Ensino de Ciências Exatas e da Natureza, da Universidade Federal da Paraíba (UFPB), e do Departamento de Química da University of the Sciences in Philadelphia (EUA) também participaram das pesquisas. O artigo mostra como o uso de microondas em atividades científicas avança devido a novas aplicações, simplicidade e baixo custo. “O forno de microondas tem deixado cada vez mais de ser visto como um mero eletrodoméstico e passado a figurar entre os equipamentos laboratoriais de utilidade na pesquisa científica”, apontam. A aplicação de microondas em áreas da química e ciências afins tem decorrido da redução do número de etapas em muitas sínteses, melhoria de propriedades físicas em cerâmicas tecnológicas e economia de energia e tempo alcançada no processamento de materiais. Os autores apresentam um dispositivo capaz de efetuar tanto a síntese quanto o tratamento de sólidos, mesmo quando os materiais em questão não possuem susceptibilidade às microondas. O dispositivo consiste de um forno doméstico modificado, que contém uma célula radiossuscetível inserida em sua cavidade.

Cerâmica – vol. 52 – nº 321 – São Paulo – jan./mar. 2006

Link para o artigo

Republicar