guia do novo coronavirus
Imprimir PDF Republicar

Mundo

Novas luzes sobre o espectro

Uma equipe de pesquisadores liderada por Henry Kaptein e Margaret Murname, da Universidade do Colorado, nos Estados Unidos, conseguiu criar, combinando conceitos de radiação eletromagnética e fibra óptica, um feixe de luz ultravioleta extrema (EUV). Ele é semelhante a um feixe de laser, capaz de focar uma região do espectro eletromagnético antes inacessível aos cientistas. O feixe tem uma potência de pico de aproximadamente 1 megawatt e produz ondas de luz em escala nanométrica (milésima parte do milímetro).

Produzindo ondas 10 a 100 vezes mais curtas que as ondas visíveis de luz, o aparelho facilitará a vida dos pesquisadores na visualização de partículas e na manipulação de modelos em miniatura em áreas como a microscopia e a nanotecnologia. “Em dez anos, a luz de laser se expandirá totalmente até a região de raio X do espectro”, especula Kapteyn. “A luz será, então, usada nos telescópios mais precisos que possamos imaginar, permitindo, por exemplo, imagens em tempo real da complexa dança ondulatória dos átomos nas reações químicas e farmacêuticas que ainda não foram visualizadas.” A pesquisa foi financiada pela Fundação Nacional de Ciência (NSF), agência do governo norte-americano, com apoio do Departamento de Energia.

Republicar