guia do novo coronavirus
Imprimir PDF Republicar

Tecnociência

O alerta da balança

Em conseqüência do desmame precoce e da dieta rica em alimentos industrializados, gorduras e açúcares, as crianças de Florianópolis tornaram-se mais taludinhas do que a média nacional. Pesquisadores da Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC) verificaram que 6,8% das crianças da capital catarinense estão com sobrepeso – peso acima do normal para a altura.

É uma taxa maior que a média nacional (4,9%), de acordo com o estudo publicado na Revista de Nutrição e apoiado na avaliação de 3.806 crianças com até 6 anos, o equivalente a 10% da atual população da cidade nessa faixa de idade. “Se a tendência persistir, teremos uma geração de adultos obesos, com a saúde comprometida pela associação com doenças crônicas não-transmissíveis, como diabetes e hipertensão”, diz Arlete Tittoni Corso, a coordenadora do estudo.

“Temos de atuar nas unidades de saúde, orientando as gestantes sobre como alimentar os bebês durante e após o desmame, e em creches, acompanhando o crescimento das crianças.” Estima-se que no Brasil existam cerca de 3 milhões de crianças de até 10 anos com sobrepeso. Em 1989, eram 1 milhão.

Republicar