guia do novo coronavirus
Imprimir PDF Republicar

Fisiologia

O cheiro do perigo

LAURABEATRIZCientistas suíços da Universidade de Lausanne decifraram um mistério que já durava 35 anos. Identificaram uma região no nariz dos mamíferos que desempenha uma função vital para a sobrevivência de certos animais: sentir, literalmente, o cheiro de perigo. Esse papel é desempenhado pelos gânglios de Grueneberg, uma estrutura descoberta em 1973 em roedores que permaneceu esquecida por décadas, à qual ainda não se tinha atribuído nenhuma função. Os gânglios, que formam um amontoado de células nervosas, são especializados em reconhecer feromônios de alarme, moléculas odoríferas emitidas por animais diante de uma situação ameaçadora. Para chegar a essa conclusão, os pesquisadores retiraram a estrutura de roedores e os colocaram em um ambiente cheio de feromônios de alarme. Nesses casos era de esperar que os animais se mantivessem paralisados ou tentassem fugir do lugar, em resposta ao cheiro do perigo. Mas, por não terem os gânglios, os bichos simplesmente ignoraram os sinais de ameaça no ar e se comportaram de forma normal. Aparentemente, a estrutura só é responsável por detectar os feromônios de alarme, visto que as demais funções olfativas se mantiveram intactas nos roedores sem os gânglios (Science).

Republicar