guia do novo coronavirus
Imprimir PDF Republish

Sagitário A

O despertar de um gigante

O glutão da Via Láctea: o buraco negro Sagitário A* emite raios X ao se alimentar de material do objeto G2

NASA/CXC/M.WEIS O glutão da Via Láctea: o buraco negro Sagitário A* emite raios X ao se alimentar de material do objeto G2NASA/CXC/M.WEIS

O buraco negro no centro da Via Láctea anda mais ativo nos últimos tempos. De meados de 2014 para cá, astrônomos da Europa e dos Estados Unidos registraram um aumento na frequência das emissões de raios X emanados das proximidades de Sagitário A*, o buraco negro da galáxia. Desde que essa região do espaço começou a ser monitorada regularmente há cerca de 15 anos, o Sagitário A* tem se mostrado um gigante relativamente silencioso. Em geral, detecta-se em seus arredores um clarão no comprimento de onda dos raios X uma vez a cada 10 dias. Flashes dessa luz bastante energética, invisível aos olhos humanos, são emitidos toda vez que o gás aquecido do disco de acreção cai em direção ao buraco negro. Há pouco mais de um ano, porém, a frequência desses clarões aumentou 10 vezes: eles passaram a ocorrer uma vez por dia, sinal de incremento da voracidade de Sagitário A* (MNRAS, no prelo). Os astrônomos ainda não sabem se essa flutuação é parte de um ciclo natural ou decorrente da passagem de um objeto em sua vizinhança. Os flashes aumentaram seis meses depois que um objeto chamado G2, possivelmente uma estrela envolta em gás, se aproximou do buraco negro.

Republish