guia do novo coronavirus
Imprimir PDF Republicar

Brasil

O escorpião translúcido

Mais uma razão para manter os olhos abertos ao entrar em uma caverna. Há um escorpião que só vive nesses lugares escuros e úmidos: é o Troglorhopalurus translucidus . Tem 3,8 centímetros de comprimento e é translúcido, como o próprio nome indica.

A carapaça é tão despigmentada que, posto contra a luz, podem-se ver sua musculatura e as vísceras. "É um novo gênero, uma nova espécie e o primeiro caso confirmado de escorpião troglóbio (cavernícola) no Brasil", afirma Wilson Lourenço, especialista em escorpiões do Museu Nacional de História Natural, de Paris. Até agora foram identificados apenas 15 escorpiões troglóbios no mundo, dos quais 12 no México.

A espécie brasileira foi encontrada na gruta do Lapão, em Lençóis, na Bahia. "Provavelmente, esse escorpião vivia em cavidades entre blocos de rochas sobre um rio subterrâneo", diz Alessandro Giupponi, que assina com Lourenço um artigo na Current Research Biology com a descrição desse animal. O T. translucidus apresenta algumas adaptações que o habilitam a sobreviver nas cavernas, como a perda de pigmentação, o corpo achatado, as pernas e os pedipalpos bastante alongados e pêlos sensitivos, que facilitam a captura de insetos. Das 1.500 a 1.600 espécies conhecidas de escorpiões, o Brasil abriga 120, das quais pelo menos cinco podem causar acidentes fatais.

Republicar