guia do novo coronavirus
Imprimir PDF Republicar

Estratégias

O gramado do vizinho

Indicadores de ciência e tecnologia na Argentina divulgados pelo Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovação Produtiva enumeram avanços que o país vizinho obteve no período de 2003 a 2007. Os investimentos em atividades científicas e tecnológicas cresceram 183%. Já em pesquisa e desenvolvimento o aumento foi de 168%. O número de pesquisadores, estimado em 2007 em 46.884, cresceu 30% no período, enquanto o de bolsistas subiu 64%, chegando a 12.168. A comunidade científica rejuvenesceu um pouco. Os pesquisadores de até 30 anos, que em 2003 respondiam por 14% do total, cresceram para 17%  em 2007. O número de projetos de pesquisa em execução era, em 2007, de 22.134, 32% a mais do que em 2003. Nos últimos anos, políticas de incentivo à pesquisa aplicada fizeram com que o investimento nesse campo crescesse 12%, diante de apenas 2% da pesquisa básica. “Apesar desse grande avanço, o país só dedica a atividades científico-tecnológicas 0,61% de seu PBI, menos que Brasil, Chile e Cuba”, observou Nora Bar, do jornal La Nación.

Republicar