guia do novo coronavirus
Imprimir PDF Republicar

Mundo

Papel eletrônico, flexível e colorido

A empresa japonesa Fujitsu desenvolveu um papel eletrônico flexível e colorido que possui memória para armazenar as imagens mostradas. O novo papel, que funciona com baixo consumo de energia elétrica, constitui-se de um filme de polímero superfino, formado por três camadas nas cores vermelha, azul e verde e recoberto com circuitos eletrônicos. Ao anunciar a nova tecnologia, a empresa informou que, como não é necessário o uso de filtros de cores, elas são reproduzidas de maneira mais intensa que nas telas convencionais de cristal líquido. Entre as aplicações previstas para o novo papel, que a empresa pretende colocar no mercado até 2007, está o uso em painéis publicitários, além de transferência de textos ou imagens de telefones celulares ou outros dispositivos portáteis para telas maiores, sem a necessidade de cabos. Outras aplicações do papel eletrônico incluem os cardápios de restaurantes, cartazes em lojas e manuais. A memória desenvolvida permite que uma mesma imagem seja mostrada continuamente, sem consumo de eletricidade. Além de superar todas as mídias utilizadas atualmente, a maioria baseada em LEDs, ou diodos emissores de luz, o papel eletrônico também pode ser aplicado sobre superfícies curvas.

Republicar