guia do novo coronavirus
Imprimir PDF Republicar

Brasil

Patentes

Inovações financiadas pelo Núcleo de Patenteamento e Licenciamento de Tecnologia (Nuplitec) da FAPESP. Contato: nuplitec@fapesp.br

Aparelho simplifica teste odontológico

Dispositivo para realizar testes de resistência a tração, em que se avalia a adesão entre as estruturas dentais (esmalte ou dentina) e os diferentes materiais restauradores e suas composições, como resinas e cerâmicas, permite obter resultados mais precisos e seguros em comparação com os aparelhos usados atualmente. A estrutura principal do dispositivo, desenvolvido na Faculdade de Odontologia de Piracicaba, da Universidade Estadual de Campinas (Unicamp), pode ser construída tanto em aço inoxidável como em acrílico. No entanto, a matriz onde os materiais são fixados é feita em acrílico, o que representa vantagem porque não é um material tão rígido quanto o metal e reduz o risco de perda dos corpos-de-prova durante o teste. Além disso, é possível realizar testes subseqüentes sem precisar montar todo o aparato para cada corpo-de-prova a ser avaliado. O dispositivo proporciona ainda maior facilidade de posicionamento correto das estruturas dentais para a realização do teste.

Título: Dispositivo para Testes de Microtração (MT Jig) em Materiais Restauradores Odontológicos
Inventor: Luiz André Freire Pimenta
Titularidade: Unicamp/ FAPESP

 

Levedura no preparo de droga anti-HIV

Uma linhagem de levedura (Trichosporon cutaneum CCT 1903) foi selecionada para transformar um composto químico, a 1,2-indanodiona, em outro composto, o (1S,2R)-1, 2-indanodiol, com elevado rendimento, em um processo conhecido como biotransformação (biocatálise). O (1S,2R)-1, 2-indanodiol é um produto de grande interesse sintético na indústria farmacêutica porque pode ser empregado como intermediário no preparo do Indinavir, potente inibidor de uma enzima do HIV-I e, por isso mesmo, fármaco crucial na prevenção de infecção pelo vírus HIV e no tratamento da Aids. O processo biocatalítico com as células da levedura, desenvolvido por pesquisadores da Unicamp, apresenta vantagens em relação aos métodos convencionais, que envolvem metais pesados. Na transformação de compostos químicos com microrganismos, o reagente biológico é biodegradável e o processo tem, em geral, menor custo de produção, pois o solvente é a água.

Título: Preparo do (1S,2R)-1,2-indanodiol através da Redução Assimétrica da 1,2-indanodiona Mediada por Células em Repouso de Trichosporon Cutaneum CCT 1903
Inventores: José Augusto Rosário Rodrigues, Gelson José Andrade da Conceição e Paulo Samenho Moran
Titularidade: Unicamp/FAPESP

Republicar