guia do novo coronavirus
Imprimir PDF Republicar

Tecnociência

Patentes

Identificação da própolis brasileira

Processo químico e separação dos mais diferentes tipos de substâncias presentes na própolis brasileira utilizando duas técnicas de fracionamento, a de cromatografia líquida de alta eficiência e a de cromatografia gasosa acoplada à espectrometria de massas. Essas duas técnicas permitem identificar e quantificar com precisão os diferentes compostos presentes nessa resina. Após a identificação e quantificação de distintos marcadores de própolis, um software desenvolvido para esse fim classifica a própolis analisada de acordo com um conjunto de tipos previamente estabelecidos.

Título:Processo para Separação e Identificação de Substâncias Químicas em Própolis Brasileiras
Inventor: Maria Cristina Marcucci Ribeiro
Titularidade: FAPESP/ Uniban

Reagentes químicos para análises

Processo de síntese e caracterização de novos reagentes químicos (silanos contendo grupos do tipo uréia), para posterior utilização na modificação química da sílica cromatográfica. Essas sílicas quimicamente modificadas são utilizadas como fase estacionária em cromatografia líquida de alta eficiência, técnica analítica que pode ser empregada em diferentes ramos da química. Os silanos do tipo uréia são preparados em uma única etapa e envolvem a reação de apenas dois reagentes, enquanto os do grupo carbamato, bastante utilizados para a mesma finalidade, necessitam de várias etapas, o que aumenta os custos.

Título:Novas Fases Estacionárias para Cromatografia Líquida, Contendo Grupos Polares do Tipo Uréia Inseridos na Cadeia n-alquila, para a Separação e a Purificação de Compostos Básicos
Inventores: Claudio Airoldi, Isabel Cristina Sales Fontes Jardim e César Ricardo Silva
Titularidade: FAPESP/ Unicamp

Elementos ópticos mais eficientes

Os elementos ópticos difrativos (EODs) são dispositivos ópticos “moldadores” de ondas luminosas. Os EODs podem ser obtidos por intermédio de relevos gravados na superfície de um material transparente, reflexivo ou de padrões gravados em filmes fotográficos. Grande parte dos EODs modula a fase da luz incidente e em alguns casos sua amplitude, mas não ambos. Para contornar essa limitação, foi desenvolvido um novo elemento óptico difrativo capaz de realizar a modulação completa de frente de luz. Esse elemento foi fabricado com técnicas precisas, de baixo custo e bem estabelecidas para uso na fabricação de circuitos eletrônicos integrados, obtendo-se 100% de eficiência lumionosa.

Título:ElementoÓptico com Modulação Complexa Completa de Frentes de Onda de Luz, e seu Processo de Obtenção,
Inventores: Luiz Gonçalves Neto, Ronaldo Domingues Mansano, Giuseppe Antonio Cirino, Patrícia Soares Pinto Cardona e Patrick Bernard Verdonck
Titularidade: FAPESP/USP

Republicar