guia do novo coronavirus
Imprimir PDF Republicar

Estratégias

Pesquisa espanhola pede socorro

Ou a Espanha revê prioridades ou levará um século para atingir níveis de investimentos desejáveis para promover o desenvolvimento científico, segundo um estudo assinado por 3 mil pesquisadores espanhóis (Science, 10 de outubro). As autoridades científicas da União Européia recomendam que as nações do bloco invistam 3% do PIB em ciência básica.

O documento, no entanto, sustenta que o orçamento para a pesquisa básica é 33% menor do que esse patamar desde 1990, ao passo que os gastos militares e com tecnologia aplicada a negócios só fizeram crescer. “Para piorar”, diz Pedro Serena, do Instituto de Ciência de Materiais de Madri, “o governo não consegue sequer gastar todos os recursos que tinha para a pesquisa por conta da burocracia e do mau planejamento. ” O governo acusa os pesquisadores de distorcer os fatos. Avisa, por exemplo, que os gastos com pesquisa básica cresceram 60% desde 2000.

Republicar