guia do novo coronavirus
Imprimir PDF Republicar

Tecnociência

Plantas controladas

Aguapés e outras espécies de plantas aquáticas lembram um tapete verde com pontos coloridos, quando floridos, enfeitando extensas porções de rios e reservatórios de água. Só que essa beleza aparente causa sérios problemas às usinas hidrelétricas, com perdas de até 10% do potencial de geração de energia elétrica do país.

Com o objetivo de gerar tecnologia para o manejo dessas plantas, alguns projetos de pesquisa estão em desenvolvimento na Faculdade de Ciências Agronômicas da Universidade Estadual Paulista (Unesp), de Botucatu, incluindo métodos biológicos, químicos e mecânicos. Um desses projetos resultou na construção de um aerobarco, com tecnologia nacional, para aplicação de herbicidas aquáticos. Desenvolvida pelos engenheiros agrônomos Edivaldo Velini, do Departamento de Produção Vegetal, e Ulisses Antuniassi, do Departamento de Engenharia Rural, a embarcação é dotada de sistemas eletrônicos para controle e monitoramento das aplicações.

Inicialmente, os pesquisadores desenvolveram uma série de tecnologias, adaptadas a um aerobarco importado comprado pela Companhia Energética do Estado de São Paulo (Cesp). Para reduzir os custos, já que a importação de uma embarcação desse tipo fica em torno de R$ 500 mil, os pesquisadores projetaram e construíram um modelo totalmente brasileiro, por cerca de R$ 250 mil, com financiamento da AES Tietê, empresa privada que gerencia hidrelétricas. “Todo o trabalho está sendo feito com acompanhamento do Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama)”, diz Antuniassi.

Republicar