guia do novo coronavirus
Imprimir PDF Republicar

Estratégias

Polêmica divide britânicos

Boas notícias para quem defende o uso de animais em pesquisa medicinal: a opinião pública britânica pode estar mudando. A empresa Mori, do Reino Unido, especialista em pesquisa de opinião, perguntou se experiências com animais eram sempre, às vezes ou nunca justificadas, e classificou as respostas de +1 a -1, respectivamente. No caso de pesquisas sobre doenças como Aids, a média saltou de 0,08 em 1999 para 0,29 em 2002. O uso de animais em estudos de outras doenças mórbidas e em pesquisa biológica básica também ganhou aceitação e os entrevistados relataram maior fé no sistema regulatório.

O levantamento foi encomendado pela Coalizão para o Progresso Médico, que representa agências de financiamento, instituições de caridade e empresas envolvidas em pesquisa médica. Ainda há trabalho de comunicação a ser feito com o público. Quando solicitados a apontar um animal mais comumente utilizado em experimentos, 2% dos entrevistados sugeriram “cavalo” e 12% consideraram inaceitável o uso de bactérias nas pesquisas (Nature, 20 de março).

Republicar