Guia Covid-19
Imprimir PDF Republicar

Boas práticas

Prisão por fraude em ensaio clínico

Um juiz federal do estado norte-americano da Flórida condenou à prisão Eduardo Navarro e Nayade Varona, funcionários de um centro de pesquisa do condado de Miami, o Tellus Clinical Research, por fraudarem ensaios clínicos de um fármaco para tratamento de uma doença conhecida como síndrome do intestino irritável. Navarro vai cumprir 46 meses de prisão e Varona 30 meses. Ambos admitiram a culpa nos crimes. O juiz José Martinez também ordenou que os réus paguem multa de US$ 2 milhões. O caso foi apurado pelo escritório de investigações criminais da Food and Drug Administration, agência reguladora de medicamentos e alimentos dos Estados Unidos. Outras quatro pessoas estão sendo processadas, entre as quais o dono da Tellus, o médico Martin Valdes.

Entre fevereiro de 2014 e julho de 2016, a dupla inscreveu nos ensaios clínicos pacientes que não eram elegíveis para participar deles, falsificou resultados laboratoriais e registros médicos e declarou que alguns indivíduos estavam tomando o medicamento quando isso não era verdade. “Falsificar dados de ensaios clínicos põe em perigo a saúde pública”, disse o procurador Juan Antonio Gonzalez, do Distrito Sul da Flórida, de acordo com o site do Departamento de Justiça dos Estados Unidos. “Dados clínicos comprometidos colocam em risco a capacidade dos pesquisadores de avaliar a segurança e eficácia de novos medicamentos. Por isso, levar à Justiça esse tipo de crime é uma prioridade para o nosso escritório.”

Republicar