guia do novo coronavirus
Imprimir PDF Republicar

HOMENAGEM

Qualidade brasileira reconhecida

ISI homenageia pesquisadores e lança base sobre patentes

07Os 104 cientistas brasileiros mais citados em revistas científicas internacionais entre 1990 e 1999 foram homenageados, dia 29 de março, pelo Institute for Scientific Information (ISI), entidade norte-americana que mantém o banco de dados mais abrangente do mundo sobre estudos científicos em todas as áreas. Fundado em 1958, o ISI divulga, desde 1961, o Science Citation Index (SCI), um registro de todas as citações de estudos feitas nas cerca de 3 mil publicações científicas internacionais mais relevantes. Todos os homenageados são autores ou co-autores de estudos citados mais de 50 vezes em trabalhos posteriores.

“Um número tão alto de citações demonstra a importância do trabalho no avanço do conhecimento científico daquela área. Com esta homenagem, estamos reconhecendo a excelência dos pesquisadores brasileiros”, disse Keith McGregor, vice-presidente de marketing acadêmico do ISI, durante a homenagem. O ISI identificou, nesta década, 66.974 papers escritos por pesquisadores brasileiros ou radicados no país, dentre os quais havia cerca de 60 trabalhos com mais de 50 citações posteriores. Foram selecionados, então, os 27 papers mais citados no maior número de especialidades diferentes.

Cento e quatro cientistas estavam envolvidos na elaboração desses estudos. A maior parte dos trabalhos era de um amplo espectro de especialidades das áreas de ciências médicas e biológicas. A homenagem, feita na Universidade de São Paulo, contou com a presença de representantes da comunidade científica de todo o país. A solenidade abriu encontro de dois dias que teve como objetivo apresentar a pesquisadores e bibliotecários de universidades e centros de pesquisa os novos bancos de dados contratados pela FAPESP e pela Fundação Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes).

Patentes
A maior novidade é o Derwent Innovation Index (DII), a mais completa base internacional de dados sobre patentes, que inclui informações sobre todas as inovações registradas no mundo desde 1963. São mais de 18 milhões de patentes sobre as quais se oferece uma breve descrição, informações sobre o grau de proteção, nome e endereço do proprietário, além das referências sobre o artigo científico que deu origem ao invento. O acesso pode ser feito por meio de pesquisa sobre autor, área ou palavra-chave.

Terão acesso gratuito ao banco de dados todos os pesquisadores vinculados a instituições paulistas que desenvolvem projetos financiados pela FAPESP, assim como aqueles vinculados a universidades e institutos de pesquisa federais, aos quais a Capes garantirá o acesso. Também os pesquisadores que trabalham em empresas terão acesso à base de dados graças a convênio feito entre a FAPESP e três instituições: Serviço Brasileiro de Apoio à Pequena e Micro Empresa (Sebrae),Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp) e Associação Nacional dos Pesquisadores em Empresas Industriais (Anpei).

O acesso ao DII integra uma série de esforços empreendidos pela Capes e FAPESP para aprofundar a integração da ciência brasileira com o resto do mundo. A Fundação contratou em 1997 – e a Capes em 1999 – os serviços da Web of Science, o mais completo banco de dados sobre artigos publicados em mais de 8 mil revistas científicas internacionais de qualidade reconhecida.

Republicar