Prêmio CBMM
Imprimir PDF Republicar

mundo

Rosto é senha de acesso

A cena pode parecer futurista, mas não é. Você entra no carro e uma câmera reconhece seu rosto. Em seguida, automaticamente são feitos os ajustes de assento, espelhos, ar-condicionado e estação de rádio favorita. Tudo isso pode ser feito com o sistema de identificação visual que acaba de ser desenvolvido pela OmniPerception, empresa inglesa especializada em segurança formada por três engenheiros do Centro de Visão, Fala e Processamento de Sinais da Universidade Surrey.

A novidade, batizada de Affinity, marca o início de uma nova era da biometria facial, a identificação de pessoas por meio da codificação e da gravação, em um computador, das características faciais. A tecnologia deve revolucionar cartões de crédito, identidades e passaportes. Ela abre as portas para muitas possibilidades, mas sua maior atração é o mercado de segurança, com o rosto tornando-se a própria senha NIP (número de identificação pessoal). “O OmniPerception Facial NIP é um código digital tão longo e complexo que seria impossível memorizá-lo. Ao mesmo tempo, não há como esquecê-lo e ele sempre estará com você. Assim, as formas de identificação convencionais logo se tornarão coisas do passado. O rosto de cada um será um passaporte único”, prevê o executivo-chefe da companhia, David McIntosh, em entrevista à London Press Service. O grande feito da OmniPerception foi quebrar a barreira da tecnologia de reconhecimento facial, que chegou a um nível só comparável à técnica de checagem de digitais. O interesse da comunidade internacional já se manifestou, diz o diretor de marketing da companhia, Martyn Gates. “Vai de passaportes a computadores e controles de acesso seguros.” Outra vantagem da identificação facial é que basta um clique – e o viajante não precisa perder tempo em aeroportos, por exemplo.

Republicar