guia do novo coronavirus
Imprimir PDF Republicar

Estratégias

Sinal de alerta no Uruguai

O contingente de pesquisadores e técnicos envolvidos com atividades de inovação na indústria uruguaia diminuiu 43% em 2003, em comparação com o final dos anos 1990. Os dados fazem parte da II Pesquisa de Atividades de Inovação na Indústria (2000-2003), elaborada pelo governo uruguaio. Foram contabilizados apenas 434 profissionais dedicados à Pesquisa e Desenvolvimento, o equivalente a 0,5% do total de empregados. Já no triênio anterior, a indústria uruguaia abrigava 766 cientistas e técnicos envolvidos nessas tarefas. “A baixa quantidade de pesquisadores na indústria é um tema-chave para o país”, disse à agência de notícias SciDev.net Amilcar Davyt, titular da Direção de Inovação, Ciência e Tecnologia (Dicyt), do governo uruguaio. A pesquisa mostra que apenas 36% das indústrias realizaram alguma atividade de inovação, mas a grande maioria delas foi a compra de máquinas e a capacitação do pessoal, não projetos de pesquisa e desenvolvimento.

Republicar