guia do novo coronavirus
Imprimir PDF Republicar

Agricultura

Soja de boa qualidade

O estado do Paraná cultivou, na safra de 2002/03, uma área de mais de 3,4 milhões de hectares de soja, com mercado estimado em mais de 200 mil toneladas de sementes. As informações, tanto da taxa de utilização de sementes quanto da sua qualidade, são fundamentais para obtenção de estimativa mais aproximada do mercado de sementes para a safra subseqüente. “Para que a oferta de sementes atenda às necessidades do mercado, é fundamental um planejamento de produção ajustado à demanda”, explica o artigo Uso de sementes de soja no estado do Paraná. “Uma informação indispensável é a taxa de utilização de sementes comerciais por parte do agricultor, assim como a avaliação da qualidade da semente fornecida pelas empresas”, aponta o estudo. Além dos aspectos de qualidade e da origem da semente utilizada, diversos outros fatores que interferem no estabelecimento da lavoura devem também ser avaliados para um melhor embasamento das projeções de mercado. Por conta disso, o artigo de Ivo Marcos Carraro e Silmar Teichert Peske, pesquisadores da Universidade Federal de Pelotas (UFPel) teve como objetivos determinar a taxa de utilização de sementes de soja, avaliar a qualidade da semente utilizada pelo agricultor, verificar a participação por cultivar e determinar a freqüência de uso de diferentes práticas agronômicas no momento da semeadura de soja no estado do Paraná. Foi estimado o número de amostras, admitindo-se um erro de 5% para o universo de todas as lavouras de soja e as coletas distribuídas ao longo do período de semeadura, de forma proporcional à área cultivada em cada região produtora do estado na safra 2002/03. As lavouras foram visitadas ao acaso, no momento da semeadura, abordando-se o operador e coletando-se uma amostra de 1kg de sementes da caixa da semeadora. Além da coleta, obteve-se uma série de outras informações, sendo a mais importante a origem da semente utilizada. Após a avaliação da qualidade das sementes, constatou-se que a taxa de utilização de semente comercial de soja no Paraná situa-se entre 85 e 90%. Assim, considerando os 3,4 milhões de hectares cultivados no estado, mais de 2,9 milhões foram cultivados com sementes oriundas de produtor credenciado de sementes. O estudo mostra que esses números revelam a grandeza do negócio de sementes de soja e a confiança que o sojicultor paranaense possui na qualidade da semente, sendo esta, provavelmente, uma das razões das altas produtividades obtidas no estado. “Os sojicultores do estado do Paraná utilizam alta tecnologia. Por isso, menos de 20% das lavouras de soja do estado estão sendo estabelecidas com sementes de baixa qualidade fisiológica”, descrevem os pesquisadores.

Revista Brasileira de Sementes – VOL.27 – Nº2 – Pelotas DEZ. 2005

www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0101-31222005000200011&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt

Republicar