guia do novo coronavirus
Imprimir PDF Republicar

Biologia Celular

Um potencial reservatório de vírus

O tecido adiposo talvez funcione como um reservatório do novo coronavírus, sugere estudo conduzido por pesquisadores da Universidade Estadual de Campinas (Unicamp). O vírus é capaz de invadir as células de gordura (adipócitos) humanas e permanecer em seu interior. Em laboratório, o Sars-CoV-2 infectou adipócitos tão bem quanto as células epiteliais do intestino ou dos pulmões. A infecção foi ainda maior quando os adipócitos (imagem) passavam por um processo artificial de envelhecimento. Os dados são preliminares. Se confirmados, podem ajudar a explicar por que obesos e idosos correm mais risco de ter a forma grave da infecção. “Temos células adiposas em todo o corpo e os obesos as têm em quantidade e tamanho maiores”, disse o biomédico Marcelo Mori, coordenador da pesquisa, à Agência FAPESP. “Precisamos confirmar se, após a replicação, o vírus sai do adipócito viável para infectar outras células.”

Entrevista: Silvia Sales-Peres
     
Republicar