guia do novo coronavirus
Imprimir PDF Republicar

Infra-estrutura

Um salto impressionante na demanda

A demanda para a segunda etapa do Programa Emergencial de Apoio à Recuperação e Modernização da Infra-Estrutura de Pesquisa do Sistema Estadual de Ciência e Tecnologia , agora distribuído em módulos, deu um salto impressionante: foram encaminhados até o final do prazo para apresentação de propostas, no dia 31 de outubro, 3.048 projetos, num valor global de aproximadamente R$486 milhões, sem se incluir aí os recursos referentes a livros, que não precisam ser especificados a priori.

Desse total, 747 solicitações, correspondentes a pouco mais de R$158 milhões, referem-se ao módulo 1 (Equipamentos); 716 pedidos, equivalentes a pouco mais de R$99 milhões, estão encaminhados para o módulo 2 (informática); 232, com recursos solicitados de quase R$51 milhões, situam-se no módulo 3 (Bibliotecas); 253 solicitações dizem respeito ao módulo 4 (Livros) e 1.100, correspondentes a pouco mais de R$178 milhões, vinculam-se ao módulo 5 (Infra-estrutura Geral).

Dentre as universidades, foi a Universidade de São Paulo, USP, quem solicitou a maior parte dos recursos, ou seja, 34% do total. Os pedidos originários da Universidade Estadual Paulista ‘Júlio de Mesquita Filho’, UNESP, correspondem a 23,3%, e os da Universidade Estadual de Campinas, UNICAMP, a 16,90/0. Além disso, os institutos de pesquisa vinculados às Secretarias Estaduais encaminharam projeto cujo montante de recursos solicitados equivale a 12,3% do total; as propostas das instituições federais respondem por 9,4% do total solicitado e as das instituições particulares por 4,1%.

Quanto à distribuição das solicitações por áreas de conhecimento, levantamento realizado em relação aos módulos 1, 2 e 5 -cuja análise dos projetos, por pesquisadores de fora do Estado de São Paulo, já foi iniciada -mostra que o maior número de pedidos está ligado às Ciências da Vida (1.189). Em segundo lugar estão as Ciências Exatas, com 1.051 pedidos e, por último, as Ciências Humanas, com 323. Nesses números, observe-se, não estão computadas as solicitações relativas a infra-estrutura de bibliotecas e livros.

Um dos resultado do salto extraordinário na demanda por recursos para infra-estrutura será um inevitável e significativo aumento no número de solicitações não atendidas, mesmo que tenham mérito, porque a FAPESP trabalha com o limite financeiro inicial de R$70 milhões já alacados para a segunda etapa do programa.

Na primeira etapa, iniciada em 1994, quando foram encaminhadas 1.102 solicitações, correspondendo a cerca de R$120 milhões, foram aprovados 836 pedidos, num total aproximado de R$68,7 milhões (57% da solicitação inicial), sendo que 16 pedidos (1,5%) referentes a biotérios ainda estão em análise. Mas agora a relação entre o valor disponível e o total das solicitações apresentadas (14,4%, fora o módulo Livros) é completamente diferente e a Fundação está desde já alertando as várias instituições a esse respeito, para que se evite uma falsa expectativa com relação às concessões.

Dependendo das análises que forem feitas pelas comissões especializadas e da disponibilidade de recursos, uma dotação adicional poderá ser concedida pelo Conselho Superior da Fundação. Mas mesmo assim, será impossível alcançar um percentual de atendimento próximo àquele da primeira fase do Programa, dada a distância entre o total disponível e o valor global das solicitações iniciais apresentadas na fase II.

Republicar