guia do novo coronavirus
Imprimir PDF Republish

Psicologia

Universo infantil

O artigo “O uso de entrevistas em estudos com crianças”, de pesquisadoras do Instituto de Psicologia da Universidade de São Paulo (USP), Centro Universitário Fieo (Unifieo) e Universidade Federal de Pernambuco (UFPE), relata algumas contribuições potenciais da entrevista como instrumento de coleta de dados com crianças, bem como algumas de suas limitações e riscos. O estudo foi baseado em observação direta, entrevistas individuais e em grupo. “A entrevista com crianças é uma técnica ainda relativamente pouco explorada na literatura, inclusive porque, usualmente, se pensa a criança como incapaz de falar sobre suas próprias preferências, concepções ou avaliações”, descreve o artigo. Com um conhecimento sobre a criança cada vez mais acurado, tem sido explorado crescentemente o uso de entrevista com crianças. “A entrevista ou o questionário é uma forma de obtenção de dados sobre fenômenos pouco suscetíveis de serem observados diretamente, seja pela baixa freqüência de sua ocorrência, seja por serem afetados pela presença do observador”, diz o artigo. O texto mostra uma série de situações e exemplos dos quais alguns ressaltam aspectos problemáticos e outros ilustram casos de emprego bem-sucedido dessa técnica. “A entrevista não é um instrumento melhor ou pior do que a observação direta”, conclui o estudo. Em alguns dos casos comentados no artigo, a entrevista é o principal instrumento de coleta, na medida em que se desejava apreender as concepções da criança sobre determinado fenômeno ou situação. Em outros, a entrevista complementa a análise da observação direta do comportamento.

Psicologia em Estudo, vol. 9,  nº 2, Maringá, maio/ago. 2004

www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1413-73722004000200015&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt

Republish