guia do novo coronavirus
Imprimir PDF Republicar

esquistossomose

Vacina contra a esquistossomose

eduardo cesarS. mansoni: antígeno contra o parasitaeduardo cesar

A primeira vacina contra a esquistossomose – doença que atinge cerca de 200 milhões de pessoas no mundo e causa uma inflamação severa no intestino e fígado – deverá ser testada ainda este ano pela empresa Ourofino, de Cravinhos, no interior paulista. A empresa comprou a licença de produção da tecnologia, desenvolvida pela médica Miriam Tendler, pesquisadora da Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz) do Rio de Janeiro. A vacina usa um antígeno – substância que estimula a produção de anticorpos – para preparar o sistema imunológico contra um ataque do parasita, impedindo que ele se instale no organismo. No caso, a substância utilizada é a proteína SM 14, um antígeno contra o verme Schistossoma mansoni, o principal causador da doença no Brasil, isolada pela pesquisadora no início da década de 1990. A SM 14 foi um dos seis antígenos prioritários selecionados pela Organização Mundial da Saúde (OMS). Em testes feitos em camundongos, a taxa de imunização atingiu 70%. O início dos testes em pessoas depende apenas da autorização da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa). A Ourofino planeja lançar outra vacina com a mesma proteína SM 14, destinada a proteger animais contra a fasciolose hepática, parasitose que provoca perda de peso, entre outros sintomas, e atinge 300 milhões de bovinos e ovinos no mundo. A expectativa é que em dois anos o produto esteja no mercado.

Republicar